Doze Pedras
Doze Pedras é um videojogo de aventura passado em 1648, num contexto real, recriado em parte pela ficção. Acontece no velho domínio do Paço da Cerca, o centro da Antiga Vila Velha de Mafra, aqui reconstituído com informado realismo histórico. O Paço, então recentemente incluído no Viscondado de Vila Nova de Cerveira, vive um processo de remodelação que refaz a velha carcaça medieval ainda ligada ao castelo, então já desaparecido, num novo edifício de traça maneirista.

O drama tem início com a chegada de Jorge Scutari, sobrinho do Visconde D. Diogo, que, regressado da Holanda, se vê posto à prova pelo tio. O desafio é sério dado que o jovem, há muito ausente do país e filho de mãe estrangeira, terá que provar ser digno de responsabilidades de governação local. Jorge, que foi colaborador da diplomacia europeia de Padre António Vieira, irá sentir o choque com as mentalidades do Portugal da Restauração, mas sobretudo com as culturas e tradições exóticas do mundo que, por sinuosas conjunturas, se reúnem no Paço sob a forma de uma estranha irmandade. Ao chegar, Jorge reencontra a sua bela e melancólica prima, Violante, e vai ter que encarar as amargas suspeições de Marco Bene, o secretário italiano de D. Diogo. No horizonte ganha forma um grande mistério ligado às armas heráldicas do Viscondado e, na rica imaginação do jovem, refulgem já as cintilações sedutoras de um tesouro escondido.